Centro de Atenção Psicossocial realiza ações em alusão ao Setembro Amarelo

Centro de Atenção Psicossocial realiza ações em alusão ao Setembro Amarelo


O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) realizou neste mês de setembro, diversas palestras em alusão ao setembro amarelo, mês de prevenção ao suicídio. As palestras tiveram início no dia 23 de agosto, onde ocorreu uma oficina para os profissionais da Atenção Básica, no auditório da Secretaria de Saúde e ao longo de todo mês de setembro, para os professores e alunos e os usuários da Central de Marcação.

“Muitas mortes poderiam ser evitadas se a informação de que se pode pedir ajuda e dividir o que se sente com alguém fosse disseminada, e é isso que a Campanha Setembro Amarelo objetiva”.

Segundo o psicólogo Roberto Filho “a campanha este ano teve como fundamental objetivo, sensibilizar os professores quanto aos sinais e fatores de risco que levam ao suicídio”.

De acordo com a OMS: a cada 45 minutos morre uma pessoa vítima de suicídio no Brasil, isso significa um total de 35 mortes por dia. A maior alta foi no público jovem, de 10 a 19 anos um aumento de 40%, onde é considerada a segunda causa de morte entre os mesmos, perdendo somente para acidente de trânsito. Além disso, para cada suicídio podem ter ocorrido mais de 20 outras tentativas que não deram certo.

Com isso, “hoje, o suicídio no Brasil já faz mais vítima do que imaginamos, do que realmente são notificados e, mesmo assim, muitas pessoas ainda não discutem sobre o assunto e apresentam medo de encarar os transtornos psicológicos que levam a morte. Portanto, a informação ainda é o caminho e devemos ficar atentos aos sintomas de mudanças de comportamento, tristeza, fata de animo, insônia, vontade de ficar sozinho, que são indícios de que a pessoa pode estar precisando de ajuda, onde às vezes, uma escuta já tem poder de amenizar o problema”, completa o psicólogo.